quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Protagonista da série Prison Break revela ser gay ao recusar ida à Rússia


O actor e guionista Wentworth Miller, um dos protagonistas da série norte-americana Prison Break, assumiu ser gay numa carta na qual se recusou a participar no Festival Internacional de Cinema de São Petersburgo, na Rússia, onde foi recentemente aprovada uma lei que é vista como atentatória à liberdade dos homossexuais.

“Obrigado pelo vosso gentil convite. Como alguém que gostou de visitar a Rússia no passado e pode até reivindicar um grau de ascendência russa, eu adoraria dizer que sim. No entanto, como homem gay, devo recusar”, escreveu o actor de 41 anos. A carta foi publicada na página de Internet da organização americana GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation), que luta pelos direitos de gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais.

Miller, que interpretou o fugitivo Michael Scofield na série da FoxPrison Break, entre 2005 e 2009, tinha sido contactado pela directora do festival, Maria Averbakh, para ser “convidado de honra”.

Na carta em que declinou o convite, mostrou-se “profundamente perturbado” pelo tratamento dado pelo governo russo a homens e mulheres homossexuais. “A situação não é aceitável e eu não posso participar num festival organizado por um país onde pessoas como eu vêem negados os seus direitos de viver e amar abertamente”, escreveu.

A Rússia aprovou recentemente uma lei que pune a “propaganda da sexualidade não-tradicional” que vise menores de 18 anos e proíbe a adopção de crianças por casais do mesmo sexo, além de impor multas para quem promover desfiles de orgulho gay.

Esta lei, publicada em Junho, tem sido alvo de protestos, e foi mesmo criticada por Barack Obama. No início de Agosto, o actor britânico Stephen Fry pediu ao Comité Olímpico Internacional (COI) que retire a organização dos Jogos de Inverno à Rússia, comparando este país à Alemanha de Hitler.

Fonte: Publico

0 comentários:

Enviar um comentário